Preljocaj em Nova York
Os temas favoritos de Angelin Preljocaj são o amor, a guerra e o trabalho, temas humanos perenes, enriquecidos por seus detalhes cuidadosamente observados da vida cotidiana, com um vocabulário de dança fortemente orientado ao lado físico e sensual. Este maravilhoso espetáculo revive duas peças criadas originalmente para o prestigioso Balé da Cidade de Nova York, e reinterpretadas na beleza dos bailarinos de sua companhia: Spectral Evidence (Criada em 2013, para uma partitura de John Cage) e La Stravaganza (1997, baseada na música de Vivaldi).
O estilo Preljocaj foi um pouco empurrado mas o essencial permanece. Seu gesto único nos lembra a notícia, uma peça que fala sobre o julgamento infame, com as bruxas de Salém, e outra da imigração,
em um dispositivo cênico que para o público é difícil de identificar, mas que hipnotiza.
A primeira peça do espetáculo, "Spectral Evidence" (2013), é um balé de oito bailarinos divididos em quatro casais que encenam várias músicas de John Cage e transportam o público a um julgamento inspirado em "As Bruxas de Salém". As "bruxas" frágeis, vestidas de branco, se misturam com os pastores puritanos que se exibem com sua roupa preta. A peça aparece como uma porta fria e fechada com uma decoração sóbria e minimalista, onde a tensão aumenta. Os códigos são os do balé clássico com gestos limpos e impecáveis, mas o resultado é uma obra profundamente contemporânea.
"É uma pesquisa fundamental sobre conceitos como o peso, a energia, a dinâmica e o espaço", conforme disse o próprio Preljocaj. "As pessoas pensam que os mundos da dança contemporânea e do balé, são muito diferentes. Mas afinal, existe a mesma diferença entre o Balé da Ópera de Paris e o Balé da Cidade de Nova York. Cada companhia tem um DNA, suas próprias características, e para mim é mais interessante tentar entender o que é isso e capturá-lo, do que forçar um estilo próprio sobre os bailarinos. O que acontece entre nós, uma hibridação, é o que conta", explica.
A segunda coreografia, "La Stravaganza", é fruto de uma encomenda feita em 1997 por Peter Martins do Balé da Cidade de Nova York e presta homenagem a todos os que emigram em busca de uma nova vida, especialmente aqueles que emigram para os Estados Unidos. Casais de bailarinos recriados a partir de todos os períodos da imigração americana interpretam coreografias criadas por peças musicais tão variadas que vão de Vivaldi a Ake Parmerud, passando por Evelyn Ficarra, Serge Morand e Robert Normandeau.
Angelin Preljocaj criou em 1984 o Balé Preljocaj, que atualmente tem 24 membros e está instalado em Aix-en-Provence (França), cidade onde nasceram cerca de cinquenta trabalhos coreográficos.
Informação
Título original
PRELJOCAJ IN NEW YORK
Gênero
Dança